Até agora, este tem sido um ano fascinante no âmbito das redes sociais, na medida em que o Facebook, rei absoluto, tem vindo a implementar uma série de novas funcionalidades no intuito de evitar a ascensão do musculado Google Plus. Contudo, desde as últimas semanas, só temos ouvido falar no Facebook, em muito devido ao lançamento do botão de subscrição e das listas inteligentes (um parente próximo dos Círculos do Google Plus). Para além de tudo isto, já existem promessas que os próximos tempos trarão grandes novidades, que deverão ser previamente anunciadas na f8.

Entretanto a equipa do Google Plus tem andado muito sossegada, excepção feita ao anúncio de uma API (ainda que limitada). Ora, aqui vão cinco sugestões sobre o que a rede social da Google deveria fazer não só para melhorar o seu produto, como também para obrigar o Facebook a continuar a oferecer-nos melhorias no serviço.

1. Criação e Manutenção automática de Círculos.

Este tem sido um dos maiores problemas do utilizador comum do Google Plus: o elevado esforço inicial para criar círculos e depois a trabalheira para os manter.

Por sua vez, o Facebook mostrou como se faz ao Google Plus ao lançar as suas listas inteligentes de amigos. Estas são criadas de forma automática, baseadas na localização, local de trabalho e em mais algumas informações do perfil do utilizador. Estamos a falar de uma funcionalidade ainda relativamente simples e que não é implementada de forma perfeita. Contudo, é bem melhor do que começar do zero, que é o que acontece com o Google Plus.

2. Adicionar uma caixa de pesquisa específica para o Google Plus.

Ainda que qualquer conteúdo público no Google Plus possa ser pesquisado utilizando a normal pesquisa do Google, qualquer publicação ou dados sobre Círculos está escondida do google.com. A equipa do Google Plus sabe que esta é uma funcionalidade que os utilizadores desejam, sendo que é provável que já exista uma ferramenta interna semelhante no momento em que está a ler este texto. Seria uma excelente notícia, uma vez que nem o Facebook nem o Twitter fazem um bom trabalho no arquivo e pesquisa das publicações mais antigas.

O Twitter é muito bom nas pesquisas mais recentes, enquanto que o Facebook aposta em que os seus utilizadores vivam o momento. Um bom sistema de pesquisa do Google Plus poderia permitir que este se tornasse uma espécie de extensão de memória para os seus utilizadores. Em parte, o sucesso do Evernote – uma aplicação de notas que se chama a si própria “cérebro online” – é um indicador de que as redes sociais precisam de uma melhor e mais longa memória.

3. Abram a API!

De momento, a API do Google Plus limita-se aos dados públicos, para que os programadores externos não possam ter acesso a dados pessoais. Não faz sentido que este acesso não seja alargado, sendo que a própria Google já admitiu que tal possa vir a acontecer. Uma vez que boa parte das aplicações e funcionalidades que gostamos no Facebook são baseadas exactamente no acesso de terceiros aos nossos dados, o Google Plus não poderá demorar muito mais a implementar.

(Se não tem a certeza se permite o acesso de terceiros aos seus dados no Facebook, pense na quantidade de vezes que respondeu que sim a aplicações que lhe perguntam se podem escrever no seu mural ou aceder aos seus dados.)

4. Páginas para marcas e empresas: rapidamente e em força!

É do conhecimento geral que a equipa do Google Plus está a trabalhar para implementar páginas para marcas e empresas, uma função que será em tudo semelhante às Páginas do Facebook. Seria óptimo que estas fossem muito mais fáceis de acompanhar e organizar no Google Plus do que são no Facebook. Muitas vezes “gostamos” de uma Página e esta nunca mais nos aparece no feed. Porque é que não podemos colocar as nossas páginas favoritas no menu principal do Facebook? Porque é que não podemos adicionar imediatamente uma página a uma lista em vez de o fazer à posteriori?

O Google Plus tem aqui a oportunidade perfeita para criar páginas muito mais amigas do utilizador, algo que em muito irá beneficiar as duas partes: empresas e utilizadores.

5. Descubram uma forma de incentivar toda a gente a utilizar o Google Plus

Este é decerto o mais importante desafio que o Google Plus enfrenta para desafiar a hegemonia do Facebook. Enquanto o Google Plus tem uma forte franja de utilizadores precoces, ainda não conseguiu chegar ao cidadão comum. Embora não existam grandes estatísticas sobre isto, bastará reparar em quem é que interage consigo no Google Plus. Pelo menos a nós parecem-nos ser, na sua maioria, pessoas relacionadas com a indústria online, o que é óptimo que se quisermos discutir assuntos relacionados com o trabalho.

Pelo contrário, toda a gente tem uma conta no Facebook. É certo que demorou muito tempo até que tal fosse uma realidade, mas a verdade é que o Google Plus precisa que encontrar uma forma de motivar todas estas pessoas a utilizar o serviço. Também existe a hipótese que a rede social seja um elemento de tal forma importante na futura linha de produtos da Google (pesquisa, comércio electrónico, etc) e que toda a gente comece a utilizar por isso mesmo.

Estes são cinco questões que gostaríamos de ver implementadas no Google Plus, assim que tal fosse possível. Contudo, existe uma outra grande queixa: esta rede social não permite a adopção de outro nome que não seja o nome verdadeiro do utilizador. Este também tem sido um tópico controverso que necessita de ser resolvido.

A parte boa de todo este processo é que ambas as empresas se vão esforçar ao máximo por melhorar os seus serviços e nós, consumidores, é que vamos ficar a ganhar com isso.

Sabe como planear o seu website?

Faça download gratuito do nosso guia de planeamento essêncial de um website.

 

Aprenda a planear o seu website para o sucesso.