intuitiva • comunicação web https://www.intuitiva.pt Especialistas em Marketing Digital, Design, Desenvolvimento, Optimização e Comunicação Web Tue, 17 Jul 2018 00:25:59 +0000 pt-PT hourly 1 https://wordpress.org/?v=4.9.7 Quanto custa um site em portugal em 2018 https://www.intuitiva.pt/quanto-custa-um-site-em-portugal/ https://www.intuitiva.pt/quanto-custa-um-site-em-portugal/#respond Fri, 13 Jul 2018 20:22:26 +0000 https://www.intuitiva.pt/?p=86567 O post Quanto custa um site em portugal em 2018 aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>

Saiba quanto custa um site feito em Portugal, ao valores praticados em 2018.

 

Quanto custa um site do qual estamos orgulhosos e que reflete corretamente a nossa marca? Neste artigo vamos decompor os diferentes tipos de website e os seus custos, para que perceba qual é o que vai precisar e quanto pode esperar pagar pela construção desse mesmo site.

 

Sumário do artigo:

  1. Quanto custa um site.
  2. A quem recorrer para criar o seu site?
  3. Custos imediatos e custos mensais de um site.
  4. Custos das actualizações do conteúdo de um site.
  5. As 6 estapas do desenvolvimento de um site.
  6. Questões a colocar ao designer do seu site futuro.
  7. Outras coisas a ter em conta.

 

Um website é um dos elementos mais importantes de qualquer negócio, e isso tem um preço.

 

Estudos recentes demonstram que ter um site pode aumentar o lucro de um negócio em 45%, apenas por existir! Embora se estime que milhares de negócios em Portugal ainda não possuem um, e que muitos outros não têm um website adequado e capaz.

Pior ainda, é vermos que as empresas Portuguesas gastam apenas 10% do seu orçamento de marketing no canal online, e que na hora de desenvolver um projeto tão vital como um website, as empresas e os empresários Portugueses tentam poupar tostões! Optando pelo serviço mais barato que encontram, o que muitas vezes se revela um erro colossal que nalguns casos pode levar a um declínio rápido do negócio ou até mesmo à sua dissolução e insólvencia.

Outro erro crasso, são os serviços de manutenção e alojamento, que podem afetar drasticamente a performance do seu site, ao ponto de inutilizá-lo.

Façamos a seguinte analogia, imagine que o seu negócio é de motorista, onde irá passar a maior parte do seu dia? Dentro de um carro certo? Sendo o seu negócio, a sua fonte de sustento, a sua marca, o local onde passar a maior parte do seu dia, você vai querer poupar no carro? Na manutenção do carro? Correndo o risco dele deixar de funcionar ou não ser veloz o suficiente para transportar prontamente os seus clientes, prestando um bom serviço? Possivelmente, se se conseguir imaginar nesta situação , a sua resposta será que não, então pense da mesma forma em relação ao seu website porque ele pode muito mais que aumentar as suas vendas, ele pode ser TODO o seu negócio!

 

 

 

Quanto custa um site?

 

Ainda existe muita confusão sobre o que é que um site faz, e quanto deve custar – precisamos de gastar milhares, ou podemos simplesmente construi-lo nós mesmos? E se gastarmos para alguém desenhar o nosso site, quais os custos a longo prazo?

Nós percebemos estas questões. É difícil saber onde começar, e na verdade, cada caso é um caso. Por isso vamos explorar todos os custos envolvidos com a criação e manutenção de sites de todos as diferentes dimensões, para lhe oferecer uma ideia mais clara do que precisa e do que poderá custar.

Se necessário, nós mesmos podemos ajudá-lo a construir o seu novo website, e a orçamentá-lo, sem qualquer custo, basta que nos solicite o seu orçamento aqui.

 

 

Sumário dos custos do design de um site:

Há vários tipos de websites diferentes, mas para o propósito deste artigo dividimo-los em quatro categorias diferentes:

 

Simples

Estilo brochura, composto por uma a cinco páginas com multiplas secções, por exemplo uma landing page e uma página de contacto.

Um site básico é composto por entre uma a cinco páginas, e quer apenas funcionalidades simples. São excelentes se quisermos uma presença online simples. É ideal para profissionais por conta própria em industrias tradicionais que não precisam de fazer updates constantes.

Custo de um site simples:

– Custa entre 500 e 1000 euros.

 

Pequeno negócio, profissional ou startup

Estilo brochura, várias páginas ou página única com várias secções, rico em funcionalidades e com integração com social media CMS, google analytics e mapas. É boa para startups, pequenos negócios, freelancers e pessoas que precisam de fazer updates com alguma periodicidade.

Custo de um site Startup/negócio:

– Custa entre 750 e 1500 euros.

 

Ecommerce ou loja online

Tem tudo o que o anterior tem, mais funcionalidades Ecommerce de gestão de vendas e tracking de envios assim como acompanhamento ao cliente e gestão de encomendas. É o ideal para qualquer negócio que queira vender online.

Custo de um site loja online / ecommerce:

– Custa entre 1000 e 2500 euros.

 

Por medida 

 Sites com bases de dados, funcionalidades avançadas e sub páginas ilimitadas. Ideais para negócios complexos, como serviços financeiros, recrutamentos, saúde e fitness.

Custo de um site por medida:

– Custa entre 5000 e 250.000 euros.

 

 

Crie o seu próprio site, DIY e website builders.

 

Claro que, a opção mais barata é o DIY (Do it your self ou em Português o chamado faça-você-mesmo).

Há vários designers de sites no mercado que permitem a criação de um site desde a origem, gratuitamente, e sem precisar de qualquer experiência, com contrapartidas. Requerem o seu tempo, têm uma curva de aprendizagem que pode ser complexa de mais para o seu nível de utilização tecnológica, e caso requeira funcionalidades mais avançadas, podem não existir ou podem requerer pagamentos elevados e muitas vezes recorrentes.

Contúdo, são excelentes para criar um site simples que cabe num molde pre desenhado. Para algo mais sofisticado e único, recomendamos sempre recorrer a um developer com experiência.

 

Website builders

Se quer evitar os custos de pagar a um profissional, pode considerar utilizar um website builder para criar o seu site. Estes criadores são ferramentas que nos permitem criar sites apelativos de forma rápida e eficiente. Com os builders, todos os aspetos técnicos ficam em boas mãos. O hosting é providenciado pelo website builder, e podemos simplesmente copiar e colar elementos na nossa página, sem saber programar.

 

Outro benefício está no custo de desenvolvimento.

Quase todos os website builders oferecem uma versão gratuita do seu produto, que permitirá a criação de sites básicos com algumas funcionalidades básics. Por 10 a 20 euros por mês podemos fazer um upgrade, que oferecerá melhores opções de customização e especificações. Contudo a longo prazo acabará por pagar mais que se investir inicialmente num site profissional, para além da curva de aprendizagem da ferramenta que nunca é tão fácil como os website builders gostam de anunciar. A nossa experiência diz-nos que esta opção raramente serve quando se trata de um negócio real, contúdo, se não existe qualquer tipo de capacidade financeira para contratar um profissional, então esta é a melhor opção, mesmo que provisória.

 

Atenção: Um site feito com um website builder não é verdadeiramente seu!

Criar um site desta forma implicará ficarmos limitados ao web builder. E refêns da empresa do builder, o site nunca é verdadeiramente seu e pode ser “deitado abaixo” ou “sequestrado” a qualquer momento, para além de que o alojamento destes buiders costuma ser partilhado e muito limitado, o que significa que se o seu site tiver muita afluência, possivelmente vai “abaixo” e deixa de estar acessível.

Se o seu negócio depende um website, ou se um website pode afetar a sua marca negativamente, sugerimos que contrate um profissional para o auxiliar ao invés de utilizar um destes builders.

 

Alguns exemplos de website builders gratuitos que pode encontrar online.

  • Wix
  • Squarespace
  • Weebly
  • Shopify
  • Bigcommerce
  • 1&1
  • Sitebuilder.com
  • Site123

 

 

A quem recorrer para criar o seu site?

 

1. Você mesmo.

Os website builders tem se tornado mais prevalentes e sofisticados recentemente. São agora uma forma legitima de criar sites individuais ou de negócios. Para além do benefício de custo, também nos permitem colocar um site a funcionar em apenas algumas horas, com pouca experiência de design necessária.

 

2. Agência de web design

Agências de web design são geralmente experientes. Criar sites é o que e sabem fazer, e sabem fazê-lo bem, é o que nós fazemos aqui na Intuitiva, pode sempre pedir-nos um orçamento sem compromissos!

São a opção perfeita para um site básico para quem não tem tempo para o fazer sozinho.

 

3. Freelance developer

Utilizar um developer freelance é outra opção para criar um site básico. Encontrar um freelancer adequado pode levar algum tempo e muitas vezes não sabemos com quem estamos a trabalhar, se bem que existem bons profissionais de freelance. Poderá é não ser tão experiente como uma agência. Também serão mais dispendiosos, de uma forma que dificultará prever o custo total, geralmente os freelancers trabalham com um preço por hora.

 

4. Empresas offshore

Utilizar uma companhia offshore é uma das opções menos dispendiosas. Contudo, geralmente não são tão profissionais como as outras opções, algo que muitas vezes não é perceptível mas que pode ter consequências nefastas na criação do seu site novo, é a diferença de horários e a barreira da língua. Tenha cuidado com propostas que parecem demasiado boas, ou baratas, para ser verdade.

 

Custos imediatos e mensais de um site.

 

Quanto custa um site simples?

 

Ao criar o seu site, não se esqueça que as suas necessidades irão evoluir com o passar dos anos. Se estiver a planear expandir a sua companhia, ou prever aumentos súbitos no numero de visitantes, mencione isto à pessoa a quem estiver responsável para o seu site, para que ele seja “future proof”, ou seja, à prova de futuro.

O custo de um site simples pode ser decomposto da seguinte forma:

  1. Design e construção: 490 a 750€
  2. Produção de conteúdos e guia de estilo: 0€ a 300€

Total a pronto pagamento 490€ a 1050€

  1. Alojamento profissional na Cloud: 10€ a 35€
  2. Caixa de email profissional: 0€ a 5€ por caixa de email.
  3. Updates de conteúdos, textos e imagens: 0€ a 150€ mensais.
  4. Manutenção e updates do software do site: 10€ a 35€ mensais.

Total de custos mensais: 20€ a 220€

 

Claro que, estes preços dependem do tamanho e complexidade do site e de quem irá fazer as actualizações do site e dos conteúdos (algo que pode fazer você mesmo), assim como se irá utilizar um serviço de email profissional (em média 5€ por caixa de email) ou um serviço de email associado ao hosting partilhado (sem custos).

Ao pedir uma proposta, tente ser o mais específico possível e garanta que entende o custo total.

A transparência nos estágios iniciais do processo do web design entre si e o seu designer garantirá que toda a gente estará a trabalhar para o mesmo objectivo, e irá prevenir custos adicionais em correções futuras.

Tenha em consideração que uma grande parte do tempo dispendido a produzir o seu site está na produção dos conteúdos para o seu site, forneça referências de outros sites em relação a oque procura, prepare um guia de estilo da marca que defina tipos de letra, cores e logótipo a utilizar.

Saiba especificamente quantas páginas ou secções precisa, e que textos e imagens quer colocar nas páginas.

Opcionalmente pode pedir ajuda à empresa de design para produzir também os conteúdos, logo e guia de estilo para a sua marca e site, na Intuitiva fazemos habitualmente esse serviço, a começar nos 300€ por site, em adição ao custo de desenvolvimento.

 

Qual o custo de um site para pequenos negócios?

 

Um site de pequenos negócios tem o tamanho perfeito para um negócio que requer um pouco mais que um site básico, ou que procura um upgrade do seu site já existente para uma imagem mais actual.

O que geralmente aumenta um custo de um site para pequenos negócios é a gestão das redes sociais integrada e as campanhas de anúncios para gerar visitas ao site, por isso opte por um website profissional com um design responsivo e um sistema de gestão de conteúdos, como é o caso do WordPress.

Também geralmente costumam ter mais páginas do que um site básico, e geralmente serão desenhados para funcionar primariamente em telemóveis, que é hoje a forma de acesso mais usada para aceder a um site.

Estes sites são excelentes para quem quer fazer updates regulares ao seu conteúdo.

O custo de um site profissional para pequenos negócios, pode ser decomposto da seguinte forma:

  1. Design e construção: 600 a 1250€
  2. Produção de conteúdos e guia de estilo: 0€ a 750€

Total a pronto pagamento 600€ a 2000€

  1. Alojamento profissional na Cloud: 10€ a 70€
  2. Caixa de email profissional: 0€ a 5€ por caixa de email.
  3. Updates de conteúdos, textos e imagens: 0€ a 550€ mensais.
  4. Manutenção e updates do software do site: 10€ a 35€ mensais.

Total de custos mensais: 20€ a 660€

 

Pagar por um site bem desenhado não é uma garantia de sucesso.

Assim que tiver o seu site completado, recomendamos que reforce a sua presença com updates de marketing e conteúdo, de forma a fazer com que os visitantes continuem a voltar ao site. Disponibilizar um orçamento mensal de tempo e dinheiro pode ser uma excelente forma de garantir que isto não é esquecido.

 

Quato custa uma loja online (site de ecommerce)?

 

O custo deste tipo de sites pode variar bastante.

O preço é afetado pelo número de items que queremos ter em stock, e o numero de variedade de cada item que está acessível.

Também, claro, dependerá do número de funcionalidades individuais que queremos incorporar. Podemos esperar que um web design de ecommerce inclua um sistema de gestão de vendas, tracking de entregas e uma funcionalidade de live chat, para além de todas as funcionalidades já presentes num site de pequenos negócios.

O custo de uma loja online, pode ser decomposto da seguinte forma:

  1. Design e construção: 900 a 2500€
  2. Produção de conteúdos e guia de estilo: 0€ a 1000€

Total a pronto pagamento 900€ a 3500€

  1. Alojamento profissional na Cloud: 10€ a 70€
  2. Caixa de email profissional: 0€ a 5€ por caixa de email.
  3. Updates de conteúdos, textos e imagens: 0€ a 950€ mensais.
  4. Manutenção e updates do software do site: 10€ a 55€ mensais.

Total de custos mensais: 20€ a 1075€

 

Ao comissionar o site de Ecommerce, é importante pensar no que se quer para o site. Este site irá ser a maior representação da nossa marca – precisamos que as pessoas fiquem a ler posts, e que se envolvam com a sua social media? Quer que as pessoas voltem ao site? Ou será uma loja mais simplificada em que as pessoas fazem as compras o mais depressa possivel logo antes de sair? A maior parte das vendas será efetuada pelo telemóvel, ou pelo computador?

Em adição à manutenção normal, o hosting, domínio e custos de design, sugerimos que também considere os custos de um certrificado SSL. Isto irá adicionar mais uma camada de segurança ao seu site, o que dará uma melhor sensação de segurança aos clientes. Isto dará ao site um prefixo “https” ao invés de “http”, o S significa seguro, e isto é levado a sério. Especialmente pelo google.

 

Quanto custa um site por medida?

 

Os websites por medida são excelentes para empresas maiores que requerem mais funcionalidades, com um maior numero de visitantes ou mais informação para partilhar, ou ainda que tenham necessidades únicas de gestão de informação, manutenção de bases de dados e modelos transacionais específicos.

Para sites mais pequenos sem qualquer requerimento complexo, um webdesigner pode normalmente modificar um site já existente para o nosso negócio. Neste caso, o website é customizado, mas não por medida. O verdadeiro website por medida é criado de raiz para obedecer a um conjunto específico de requerimentos.

Estes sites funcionam à base de bases de dados. Têm funcionalidades avançadas e sub-páginas ilimitadas. Geralmente são requeridos por negócios de certas indústrias, incluindo serviços financeiros, saúde e arquitetos. Os websites bespoke também são os melhores no que toca ao mobile, pois se dedicam a criar um design fluido específico para o seu ecrã. 50% das pesquisas online são feitas pelo telemóvel, portanto isto é muito importante.

Ao pedir um site destes, é importante estar a trabalhar com um parceiro dedicado. A não ser que tenhamos uma relação forte com um freelancer talentoso, recomendamos que procure uma agência. Isto garante que receberá o melhor serviço possível.

Os preços para este tipo de projecto começam nos 450€ por dia e tem geralmente uma duração média de 3 a 6 meses de desenvolvimento. O custo total será na casa dos milhares de euros.

O custo de um site profissional para pequenos negócios, pode ser decomposto da seguinte forma:

  1. 15% a 50% do valor total de desenvolvimento.
  2. Pagamento restante por etapas de desenvolvimento.

Em termos de preço, um site por medida é certamente mais caro que qualquer outro tipo de site.

Se não tiver a certeza sobre que tipo de site quer, não pense só na funcionalidade e no numero de visitantes com o qual está a trabalhar no momento, mas nas suas necessidades para os próximos anos. Ter um site que está pronto a crescer é imperativo!

 

Custos iniciais com um website

Nome de Domínio

Para lá dos custos de design, o custo principal será a compra de um domínio (para quem não tiver já um)

Um domain name é uma morada única para um site. Por exemplo, o domain name da Intuitiva é “intuitiva.pt”

Os sites .com e .pt custam entre 10 a 15 euros por ano. O site só será seu enquanto pagar este valor, se deixar de pagar perder o direito ao domínio e ele pode ser registado por outra pesoa.

Assim que tiver encontrado o seu domain name, poderá pagar compra-lo num site como o GoDaddy.

Os preços variam dependendo na popularidade do seu domain name. Os sites mais desejados podem custar dezenas de milhares de euros por ano, portanto procure algumas combinações antes de escolher um. Para este artigo, limitámos o custo a 100 Eur por ano

 

Custos a longo prazo com um website

Hosting / alojamento, qual optar?

Todos os sites precisam de ser alojados num servidor, é isso que faz com que fique acessível à net. Basicamente significa que estamos a alugar ou a comprar um espaço na internet. Entender o significado de hosting não é necessário, mas é essencial saber que o nosso site precisa dele e as opções são.

 

Alojamento Partilhado: 3 a 10 eur mês (não recomendamos)

É a forma menos dispendiosa. A nossa plataforma é partilhada com outros sites, o que significa que o custo é partilhado. O lado negativo é que também partilhamos a largura de banda. Isto significa que competimos pelo espaço no servidor com outros sites. É uma excelente opção para pequenos sites

 

Alojamento VPS: 10 a 45 eur mês (não recomendamos)

É um bom ponto intermédio entre partilhado e dedicado. Um VPS é um servidor físico que aloca vários servidores aos seus sites. Desta forma evitamos os problemas associados com a partilha de host

 

Alojamento Cloud: 10 a 350 eur mês (a opção que recomendamos 🏆)

Com o cloud hosting o nosso site está num servidor virtual. É uma opção popular por várias razões. Para começar, os planos podem acomodar grandes aumentos no número de visitas. Segundo, é fácil adaptar hosting na cloud para acomodar as nossas necessidades. Em terceiro lugar, só pagamos o que utilizamos. É um passo seguinte lógico para um site que começou num hosting partilhado mas que começou a ver um grande aumento no tráfego

 

Alojamento Dedicado: 65 – 200 eur mês (não recomendamos)

Com esta opção, temos o nosso próprio server dedicado ao nosso site. Os websites que são particularmente grandes ou complexos, ou que requerem grande segurança beneficiarão de hosting dedicado. É também a melhor opção para sites com muito tráfego. Não partilhar um servidor com outros sites tem as suas vantagens, nomeadamente que não temos que competir por largura de banda. Isto reflete.-se no seu elevado preço.

 

Quanto podem custar as actualizações de conteúdo do seu website.

 

Para além dos custos de alojamento, também precisaremos de ter em conta o custo dos updates e produções de conteúdo.

Os custos variarão dependendo do tamanho do nosso site e da quantidade de informação a actualizar.

Lembre-se que o site nunca está realmente “concluído”, mesmo quando estamos felizes com a sua aparência e funcionalidade.

Garanta que faz os updates de uma forma ou de outra regularmente, de forma a manter a sua audiência interessada, e para aparecer nas procuras do google.

Uma estratégia de produção de conteúdos é fundamental, podem ser necessários inserções de novos produtos, de imagens de trabalhos realizados, de novos artigos, notícias, novidades, etc.

Tenha ideia dos seguintes valores,

 

1. Produção de conteúdos escritos

Produzir conteúdo escrito é algo que podemos fazer nós próprios, mas que pode ser muito melhor se contratarmos especialistas. Os custos variam entre 75 e os 500 euros por artigo original, devidamente formatado e decorado com imagens e vídeo.

 

2. Imagens

Contratar um fotógrafo para recolher um conjunto de imagens para a nossa marca ou produto é sempre uma boa escolha. Podemos também comprar imagens de stock. O preço médio de uma sessão ou reportagem fotográfica, em Portugal, varia entres os 75€ e os 1500€.

 

3. SEO/Marketing

Digamos que possui uma pastelaria em Lisboa. Googlar pastelaria em Lisboa irá produzir demasiados resultados. Como fazer com que o nosso website apareça logo em primeiro?

Muito tem a ver com a relevância do nosso negócio, e no quão atualizado o nosso site está, e quantos visitantes têm. Contudo, há outras coisas que podemos fazer para garantir que o nosso site aparece o mais acima da lista possível.

É ai que entra o SEO. Significa Search Engine Optimisation, ou seja otimização do motor de busca, é o processo de fazer com que um site ganhe o máximo de visibilidade possível, o que irá significar mais negócio para si!

Os motores de busca gostam mais de sites que carregam depressa e que oferecem a informação que as pessoas procuram, entre outras coisas.

Na Intuitiva oferecemos serviços de SEO como parte da construção do site, geralmente este investimento começa nos 150€ mensais para gestão e optimização SEO, ao qual deve acrescer a produção de artigos originais e conteúdo estrategicamente relevante para que o SEO funcione.

 

 

As 6 etapas do processo de webdesign profissional

 

Agora que tem uma ideia do custo do site, temos que passar para a segunda pergunta:

 

Quanto tempo irá levar a criar um site novo?

Não deve ser surpreendente que a resposta também venha a depender do tamanho e complexidade do site, e da capacidade das pessoas que empregámos.

Na Intuitiva, levamos em média 3 a 6 semanas a desenvolver um website novo, com acompanhamento na criação dos conteúdos e com optimização SEO incluída.

Regra geral, trabalhar com uma agência pode levar entre semanas e meses caso queira ter o melhor website possível!

Quanto mais cedo começar e decidir avançar, melhor.

 

1ª etapa: A Proposta

Todos os projectos de web design se resumem ao que queremos fazer com o nosso site. Se é só um site simples em que só queremos demonstrar produtos ou serviços, então não precisa de ser um processo demorado.

Mas, se o nosso site for parte chave da nossa oferta de serviços, e se for uma plataforma que estamos a construir online, ai sim, porderá tratar-se de um grande projecto, portanto depende mesmo do que queremos atingir.

A chave para a criação de um site de sucesso é garantir que sabemos exactamente o que queremos, para que a agência com a qual vamos trabalhar possa entender como atingir o objectivo.

 

2ª etapa: Modelos e Estrutura do site

Os modelos ajudam a entender o conteúdo que estará presente na página, a estrutura, o flow de utilizadores e a forma como o site irá funcionar de forma simplificada.

É muito importante entender estes aspectos antes de ficarmos demasiado empolgado com a aparência final do website; é mais importante estabelecer funcionalidade e perceber como é que as páginas funcionarão sozinhas e em grupo – fazer isto ajudará a atingir muitos dos objectivos especificados. 

 

3ª etapa: Aparência

A aparência é pessoal para um negócio ou para uma marca, e é por isso que é importante que a agência que escolher entenda os valores da sua marca. Sem apreciar esta base do seu negócio, a agência poderá cometer sérios erros no design ou você poderá acabar por gastar muito dinheiro com custos extra que não têm nada a ver com o objectivo original.

Não há regras muito rígidas sobre a aparência de um site, mas garantir uma excelente experiência para o utilizador e ter um design que está de acordo com os princípios da sua marca é muito importante.

 

4ª etapa: Desenvolvimento

O desenvolvimento é quando a agência escolhida pega num design e o torna funcional. Há dois tipos de criadores: Front-end e Back-end.

Os Front-end lidam com aquilo que o utilizador observa, enquanto que os Back-end são responsáveis por resolver todos e quaisquer problemas por detrás do que os utilisadores conseguem ver, trabalhando nos sites e nos vários plugins e plataformas que utilizamos.

É importante perceber que é um estágio que pode ser bastante árduo, e que portanto que se pode tratar de um processo demorado.

 

5ª etapa: Testar

Existem três tipos de testes:

O primeiro é o on-page, que verifica se uma funcionalidade do teste que foi pedida, desenhada e desenvolvida funciona realmente.

O segundo é o teste de acessibilidade de utilizadores, que envolve garantir que tudo o que precisa de ser acessivel para o utilizador está, e que funciona perfeitamente.

O tipo final é o melhoramento. É um teste continuo que procura descobrir se há alguma funcionalidade do site que pode ser feita de uma melhor maneira: Pode um certo elemento ser movido para funcionar de forma mais eficaz, encorajar mais engagement e ajudar as pessoas a entenderem melhor o que estão a fazer?

Os dois primeiros tipos de testagem são mais eficazes antes do lançamento do site, enquanto que o terceiro deverá ser efectuado regularmente para garantir uma refinação continua do site.

 

6ª etapa: Lançamento

O estado final é lançar o seu website. É muito importante garantir que atingiu todos os objectivos pedidos, mas também é importante saber que nada é 100% perfeito no lançamento.

Ou melhor, o site nunca será perfeito, pois terá sempre lugar para melhorar com a evolução tecnológica. Se adiar o lançamento do site durante demasiado tempo poderá acabar por causar sérios danos ao seu negócio.

Só porque algo não parece perfeito, ou não está no sitio certo, não significa que isso deve afectar o seu lançamento. Estes pequenos problemas são coisas que podem ser resolvidas depois do lançamento. Aliás, deve sempre rever a forma comop os seus visitantes estão a utilizar e a interagir com o site, de forma a garantir que está o mais optimizado possivel.

 

10 questões para colocar ao seu web designer

 

A comunicação é a chave para fazer com que o processo seja o mais simples possível. Precisamos de saber exatamente o que vamos receber por parte do designer, e ele precisa de saber exatamente o que esperamos dele.

Com isto em mente, criamos uma lista de questões que devem ser colocadas ao designer que contratar para criar o seu site.

 

  1. Vão comprar o domain name e o alojamento, e está incluido no preço?
  2. Com que facilidade poderá fazer updates no site? Será simples ou vai requerer conhecimentos profundos, e se sim, irão dar formação para o efeito?
  3. Quais as opções e diferentes pacotes de manutenção?
  4. O site será otimizado para os motoroes de busca através de um serviços de SEO?
  5. O site funcionará bem em qualquer ecrã de dispositivos móveis?
  6. Se ficar infeliz com o design final, poderemos efectuar revisões? Há custos adicionais?
  7. Têm serviços de ajuda no desenvolvimento do conteúdo e das imagens para o site, ou teremos que ser nós a fornecer esses conteúdos antes de dar início à construção do site?
  8. Qual é a escala para o desenvolvimento futuro do site? Está desenhado para crescer depressa?
  9. Podemos adicionar uma loja online ou um blog, no futuro?
  10. Que proteções e certificados de segunraça terá o site?

 

Outras coisas a ter em conta

 

O web design é um serviço, não um produto!

Pensar o web design como um serviço irá ajuda-lo a perceber porque é difícil atribuir um preço exato.

 

Os preços são subjetivos… mas o barato, regra geral, saí caro.

O mesmo projeto pode custar mil ou cinco mil euros. Novamente pelo facto do web design ser um serviço e não um produto. Agências diferentes terão formas diferentes de fazer coisas, e priorizam aspetos diferentes do site. A experiência e a creatividade têm um custo!

Ser o mais claro possível sobre o que queremos, e sobre o que não queremos, é a melhor forma de fazer com que os preços sejam o mais certos possível.

 

Os standards variam entre agências

Como em todas as industrias, a qualidade do trabalho irá variar de agência para agência ( e geralmente o preço é um bom indicador do que estamos a comprar).

Uma boa ideia é olhar para as criticas dos clientes e exemplos de trabalhos anteriores quando estiver a decidir com que agência trabalhar.

A melhor opção não é sempre a mais barata, e tudo o que parece demasiado bom para ser verdade, provavelmente é mesmo.

 

Escolha sempre o wordpress!

Muitas vezes pergunta-se quanto custa criar um site no wordpress. O wordpress é uma plataforma open source e por isso gratuito, mas há custos de alojamento, dominio, temas, plugins, design, creatividade, rentabilidade, experiência, serviços, etc.

Um site wordpress único e muito personalizado e requer trabalho extensivo. Os custos podem variar entre os 500€ e os 10000€ euros, dependendo do design e funcionalidades.

Para ter um site wordpress, vai precisar de alojamento, o alojamento mais barato possivel que encontra em Portugal custará cerca de 3 euros por mês, mas se o tamanho e a complexidade aumentar, também o preço aumentará. Não recomendamos que poupe no alojamento pois está a por em causa o seu negócio. Opte no mínimo, por um alojamento Cloud, os custos com o alojamento Cloud começam nos 10€ mês, sem manutenção dedicada.

É normal um site médio custar por volta de mil euros por ano se tiver um tema pago e plugins úteis. Se é um particular, possivelmente terá um custo anual na casa dos 120€ a 250€ com o seu site. Se é profissional, espere gastar em torno de pelo menos 1800€ ano com o seu site, contudo, espere obter um retorno multiplas vezes superior a esse investimento caso contrate o parceiro certo para criar o seu site.

 

Próximos passos

Agora que já conhece o processo de criação, porque não escolher a melhor agência para criar o seu site? Peça já o seu orçamento gratuito aqui.

Ou use o butão de messenger para falar directamente connosco através do Facebook. Estamos sempre disponíveis.

 

O post Quanto custa um site em portugal em 2018 aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
https://www.intuitiva.pt/quanto-custa-um-site-em-portugal/feed/ 0
Como aumentar as visitas mobile em 2018 através do Facebook? https://www.intuitiva.pt/usar-as-redes-sociais-aumentar-as-visitas-mobile/ Tue, 13 Feb 2018 09:47:03 +0000 https://www.intuitiva.pt/?p=86282/ Tudo o que precisas de saber para conseguir criar uma estratégia efectiva que envie mais tráfego mobile para o teu site, através do Facebook. Hoje, mais da metade do tráfego da web vem do canal mobile. Mais e mais usuários dependem de conexões móveis para obter suas informações on-line, e o uso do desktop está a desaparecer. Para nos comerciantes, ... Read More

O post Como aumentar as visitas mobile em 2018 através do Facebook? aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
Tudo o que precisas de saber para conseguir criar uma estratégia efectiva que envie mais tráfego mobile para o teu site, através do Facebook.

Hoje, mais da metade do tráfego da web vem do canal mobile. Mais e mais usuários dependem de conexões móveis para obter suas informações on-line, e o uso do desktop está a desaparecer.

Para nos comerciantes, a tendência apresenta um novo desafio: ainda podemos redirecionar as visitas para o site?

As redes sociais aceleraram o ritmo de marketing nos últimos 10 anos. Enquanto os próprios canais sociais estavam na vanguarda da definição de tendências, era a tecnologia que geralmente ditava como essas mesmas tendências se iriam desenvolveram. Os dispositivos ficaram menores, mais capazes e os desktops foram substituídos por alternativas mais portáteis.

Como resultado, os usuários começaram a consumir muito mais informações on-the-go. De acordo como site Statista, em 2016, uma enorme quantidade de conteúdo de redes sociais foi consumida em aplicativos de smartphones versus apenas 21% em desktop e 10% em tablets.

Não é surpresa que o mobile tenha superado o desktop no tráfego da web à escala global. Se comparado com a quantidade de conteúdo que é consumido no celular – e o fato de que, no Q2 2017, o Facebook atribuiu 87%  da sua receita derivada de anúncios para mobile – os comerciantes deveriam ver muito mais tráfego, mas esse não é o caso.

Por quê? A resposta reside na diferença entre o conteúdo consumido no celular e o desktop.

Em qualquer setor hoje, alcançar usuários em dispositivos móveis é fundamental para qualquer marca. Mas alcançar os clientes no mobile não significa apenas expandir a estratégia de publicidade da marca para incluir posicionamentos de anúncios para dispositivos móveis. Ele exige fazer ajustes significativos na estratégia de conteúdo e criar conteúdo com uma mentalidade de mobile-first.

Por exempolo, a Statista relata que, em 2016, o tráfego global de vídeo mobile totalizava 4.375.000 terabytes por mês. E em 2017 este valor mais do que duplicou!

Na paisagem de hoje, onde as subscrições de internet móvel ultrapassam o número total de utilizadores com acesso À internet, os comerciantes precisam estar cientes de como criar uma experiência de usuário focada em dispositivos móveis. Não apenas dentro das plataformas de redes sociais, mas também fora delas.

Para ajudar a facilitar a experiência do usuário, o Facebook também levou a o tamanho dos dados em consideração e está começando a recompensar sites que carregam mais rapidamente, empurrando links destes sites para o topo dos News Feeds dos usuários. 

O Facebook também deixou que quer manter seus usuários dentro da plataforma. Os links têm sido durante muito tempo o tipo de conteúdo menos efetivo para as marcas. Tendo em conta o ajuste do algoritmo de feed de notícias múltiplo e o consumo de conteúdo no mobile, os comerciantes terão que ser muito mais criativos para que os usuários saem da plataforma e visitem seus sites.

 

O Takeaway

Os profissionais de marketing devem ter o cuidado de não pedir ao público que adotem ações no mobile que se destinam ao desktop. Conduzir o seu público mobile para baixar um extenso ebook em seus smartphones é inconveniente e pesado em tráfego de dados.

No entanto, o último ponto de contato na viagem do cliente pode muito provavelmente acontecer no desktop. Sabendo o quão difícil é conseguir que os clientes em seus sites façam essa compra final, e especialmente no mobile, as marcas devem escolher com cuidado o momento certo para dar aos seus clientes o incentivo para visitar a sua página.

Provavelmente, esse passo vai acontecer mais baixo no funil de marketing (bottom-of-funnel). Quando os clientes deixam a plataforma, as marcas precisam estar prontas para encontrá-las com uma primeira experiência mobile que é leve em dados, digerível em qualquer altura ou lugar e recompensante para o usuário, recompensado-o por dar esse passo extra.

Fale connosco para criar a sua campanha e conteúdos mobile para Facebook, os nosso planos de gestão de redes sociais começam nos 99€ mês. Não tem desculpas para ter não ter uma estratégia digital de topo, gerida por um profissional qualificado.

O post Como aumentar as visitas mobile em 2018 através do Facebook? aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
Como evitar que o Facebook comprima as fotos de capa? https://www.intuitiva.pt/evitar-facebook-comprima-as-fotos-capa/ Sat, 10 Feb 2018 20:17:57 +0000 https://www.intuitiva.pt/?p=86276/ O Facebook redimensiona e formata  automaticamente as tuas fotos quando as carregas. Para ajudar a garantir que as tuas fotos aparecem com a melhor qualidade possível, experimenta estas dicas: Redimensiona as tuas fotos para um dos seguintes tamanhos suportados: Fotos normais: 720 px, 960 px ou 2048 px de largura Fotos de capa: 851 px por 315 px Para evitar ... Read More

O post Como evitar que o Facebook comprima as fotos de capa? aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
O Facebook redimensiona e formata  automaticamente as tuas fotos quando as carregas. Para ajudar a garantir que as tuas fotos aparecem com a melhor qualidade possível, experimenta estas dicas:

Redimensiona as tuas fotos para um dos seguintes tamanhos suportados:

Fotos normais: 720 px, 960 px ou 2048 px de largura
Fotos de capa: 851 px por 315 px

Para evitar a compressão quando carregas a tua foto de capa, certifica-te de que o tamanho do ficheiro é inferior a 100KB

Guarda a tua imagem em formato JPEG e com um perfil de cores sRGB

O post Como evitar que o Facebook comprima as fotos de capa? aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
7 Dicas para aumentar as conversões no Website https://www.intuitiva.pt/7-dicas-para-aumentar-as-conversoes-no-website-2/ Fri, 06 Mar 2015 21:14:13 +0000 https://www.intuitiva.pt/?p=85427 Diariamente, colocamos muito do nosso esforço para fazer crescer o tráfego do website, através da Optimização para Motores de Pesquisa (SEO), Networking, Gestão de Redes Sociais ou de E-Mail Marketing, entre outros. Porém, muitas das visitas vão embora mesmo antes que você possa dizer “Olá”. E se houvesse uma forma melhor de falar com cada visita, de forma diferenciada, com base ... Read More

O post 7 Dicas para aumentar as conversões no Website aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
Diariamente, colocamos muito do nosso esforço para fazer crescer o tráfego do website, através da Optimização para Motores de Pesquisa (SEO), Networking, Gestão de Redes Sociais ou de E-Mail Marketing, entre outros. Porém, muitas das visitas vão embora mesmo antes que você possa dizer “Olá”.

E se houvesse uma forma melhor de falar com cada visita, de forma diferenciada, com base no seu link de chegada, comportamento ou mesmo interesses? Desta forma poderia mostrar a mensagem certa ao utilizador certo e aumentar as conversões no Website.

Este tem sido o nosso pensamento e linha de acção quando desenvolvemos e implementamos soluções para os nossos clientes, pelo que lhe deixamos uma amostra das tácticas que poderá utilizar para aumentar as conversões no Website.

1. Peça a quem o visita para “Gostar” da sua página no Facebook antes que saiam

As novas visitas têm uma tendência para sair cedo, portanto poderá tentar fazê-los voltar mais tarde antes que saiam. Desta forma, terá uma boa hipótese de lhes chegar no futuro.

2. Ofereça um cupão de desconto na primeira compra aos novos visitantes

Falemos de uma excelente forma de tornar tráfego em clientes antes que fujam. Por exemplo, poderá ainda oferecer descontos a visitas que estejam prestes a abandonar os carrinhos de compras, como um bónus.

3. Peça às visitas que voltam para receber actualizações por e-mail

As visitas que voltam são as mais valiosas. Estes visitantes têm uma probabilidade sete vezes maior de lhe dar o seu endereço de email e até dez vezes de partilhar com os seus conhecidos.

4. Peça às visitas provenientes das redes sociais para partilhar o seu conteúdo

As visitas que provêm das redes sociais são têm até duas vezes mais probabilidade de partilhar do que as outras visitas. Desta forma poderá fazer com que continuem a espalhar a palavra sobre o seu website nas redes sociais.

5. Mostre um botão especial de apelo à acção com base nos seus interesses

Quando a sua mensagem tem repercussão, vamos aumentar as taxas de conversão no Website para o dobro. Gosta de futebol? Esta abordagem é um hat-trick!

6. Estenda o tapete de boas-vindas para as visitas recebidas de outros websites

As visitas recebidas através de referências em websites podem constituir uma fonte muito interessante e contínua de leads e oportunidades de negócio. Dê-lhes as boas vindas ou considere oferecer-lhes uma oferta especial ou cupão para duplicar as conversões.

7. Personalize a mensagem no seu website para quem chega através de campanhas

Se está a desenvolver campanhas de email ou publicidade online (paga por clique), poderá mostrar uma mensagem personalizada, com base no nome ou meio da campanha. E aqui, para aumentar as conversões no Website, o céu é o único limite – até trinta vezes mais conversões.

O post 7 Dicas para aumentar as conversões no Website aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
O valor dos seus Testemunhos e Avaliações enquanto cliente https://www.intuitiva.pt/o-valor-dos-seus-testemunhos-e-avaliacoes-enquanto-cliente-2/ Thu, 05 Feb 2015 18:15:32 +0000 https://www.intuitiva.pt/?p=85402 Muitos artigos focam-se na importância de obter avaliações positivas em sites como o Google Plus ou o Yelp. Contudo, os benefícios de colocar os seus próprios testemunhos e avaliações enquanto cliente noutros websites são, não raras vezes, negligenciados. Quais são então os benefícios de ter testemunhos e avaliações dos clientes nos websites de um fornecedor, revendedor ou parceiro de negócios? ... Read More

O post O valor dos seus Testemunhos e Avaliações enquanto cliente aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
Muitos artigos focam-se na importância de obter avaliações positivas em sites como o Google Plus ou o Yelp. Contudo, os benefícios de colocar os seus próprios testemunhos e avaliações enquanto cliente noutros websites são, não raras vezes, negligenciados.

Quais são então os benefícios de ter testemunhos e avaliações dos clientes nos websites de um fornecedor, revendedor ou parceiro de negócios?

  • Os testemunhos e avaliações noutros websites incluem frequentemente o nome, título, empresa e, por vezes, o link para o website da sua empresa o que, normalmente, lhe traz uma excelente mais valia em termos de Optimização para Motores de Pesquisa (SEO), ajudando na percepção que o Google tem do seu website;
  • Se a sua empresa ou instituição receber muita atenção mediática, receberá decerto algumas chamadas de jornalistas, que se vão reflectir em algumas menções positivas na imprensa.
  • Poderá tornar-se parte dos seus materiais de marketing ou sales pitch. Assim que o seu testemunho entra no website de uma empresa, poderá ir parar às suas brochuras ou às conversas entre os comerciais. Regra geral, os potenciais clientes perguntam sempre aos comerciais se dispõem de clientes na sua área de negócio, pelo que eles poderão utilizar o nome da sua empresa. Em suma, um testemunho poderá levar a que o nome da sua empresa seja mencionado e visto por terceiros.

A quem deve solicitar testemunhos e avaliações?

Aqui vão algumas ideias sobre como perceber a que empresas deve enviar o seu testemunho:

  • Faça uma lista das empresas com quem trabalha e com as quais tem uma opinião positiva a partilhar. Não se preocupe com o volume de negócios que tem com essa empresa.
  • Quais dessas empresas têm websites que destaquem testemunhos e avaliações de clientes?

Assim que tenha a lista de empresas, encontre a pessoa certa a quem deve enviar o seu testemunho. Essa pessoa poderá ser o Director de Marketing, o Relações Públicas, o Director Comercial ou alguém especificamente dedicado ao marketing digital. Se já conhece alguém na empresa, tal como um gestor de conta, pode sempre perguntar-lhe a quem se deve dirigir para deixar o seu testemunho. Se não conseguir, poderá tentar encontrar a pessoa certa através do LinkedIn e pedir-lhe que indique como o fazer.

Como é que os seus testemunhos e avaliações devem ser?

Você pretende que as empresas a quem está a enviar os seus testemunhos e avaliações os utilizem, portanto o seu testemunho deve ser tal e qual como o pretendem! Muito possivelmente, até já estão a mostrar o tipo de testemunhos e avaliações que gostam através do seu website. Quão longos são os testemunhos? Qual é o seu tom? Os testemunhos incluem números? Quais são os principais benefícios que as empresas destacam nos seus materiais de marketing? Por fim tenha atenção que ainda que falando dos pontos-chave, tendo a dimensão e tom adequados, terá que prestar um testemunho que seja um pouco diferente do que as empresas já dispõem.

Poderá também desde logo dizer que está aberto a alterações aos seus testemunhos e avaliações. Poderá dizer alguma coisa como, “Embora o nosso testemunho se foque no XYZ, também somos grandes fãs da funcionalidade XYZ123, pelo que estaríamos disponíveis para alterar o nosso testemunho”.

Conclusão

Os testemunhos e avaliações que prestamos são, não raras vezes, um método negligenciado para ganhar exposição e links de qualidade. E o esforço necessário é incomparavelmente menor, quando o comparamos com outros métodos de ganhar atenção.

O post O valor dos seus Testemunhos e Avaliações enquanto cliente aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
Como construir um Ecossistema Social de raiz https://www.intuitiva.pt/como-construir-um-ecossistema-social-de-raiz-2/ Mon, 29 Dec 2014 07:59:59 +0000 https://www.intuitiva.pt/?p=53720 Quantas relações com significado criou esta semana? Quantos contactos antigos cultivou? Quando é que foi a última vez que alguém o contactou para lhe contar a propósito de um projecto que lançou com alguém que havia conhecido através de si? Quando se vive e respira o mantra “nunca coma sozinho” sabe quão importante é atrair e passar tempo com as ... Read More

O post Como construir um Ecossistema Social de raiz aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
Quantas relações com significado criou esta semana? Quantos contactos antigos cultivou? Quando é que foi a última vez que alguém o contactou para lhe contar a propósito de um projecto que lançou com alguém que havia conhecido através de si?

Quando se vive e respira o mantra “nunca coma sozinho” sabe quão importante é atrair e passar tempo com as pessoas que mais gosta: o tipo de pessoas que o ajudarão a seguir em frente mental, emocional e, claro, profissionalmente. Vai precisar de construir relações que, por sua vez, poderão ser vistos como o seu ecossistema social.

Hoje em dia é fundamental construir este tipo de ecossistema social. As sinergias com os parceiros que se encontram no seu ecossistema social vão permitir que não só atinja os seus objectivos pessoais como também, no longo prazo, farão com que se crie um fluxo perpétuo de ideias, projectos e energia positiva.

Compreender o ecossistema social

Construir um ecossistema social significa criar as ligações entre os membros do mesmo, para além de baixar as barreiras que existem à entrada de novos membros. Quando cozinha uma sopa, necessita de uma base líquida, ingredientes específicos, temperos e tempo de fervura. Da mesma forma, não poderá criar um ecossistema social do dia para noite, nem tampouco sem os ingredientes correctos.

As principais ferramentas para construir um ecossistema social passam pelo storytelling, pelas parcerias e pelo que se devolve à comunidade.

Passos para o storytelling

É muito difícil traçar a linha entre a gritaria e as partilhas, mas cada pessoa tem estórias interessantes para contar. Estas necessitam de ser partilhadas. Aqui ficam algumas dicas sobre como revelar a sua estória e partilhar.

  1. Passar um dia a falar com um parceiro, colega ou consultor a propósito de porque é que para si, pessoalmente, é importante ser ouvido. Escolha alguém que seja particularmente bom a colocar questões. Quantas mais questões forem colocadas, mais potencial terá o conteúdo a relatar;
  2. Identifique a audiência com quem gostaria de partilhar a estória;
  3. Identifique quais as estórias que preferiria partilhar;
  4. Coloque questões como: Pretende inspirar as pessoas? Ou apenas quer encontrar alguém que compreenda e adopte as suas ideias?

Enquanto estiver neste processo, não tenha medo de ficar vulnerável. Não existe nada de constrangedor em ser autêntico. A sua autenticidade pessoal vai dar-lhe uma ajuda sobre qual deve ser o seu papel no ecossistema social. Estas questões vão ajudá-lo a identificar o papel que pretende.

Na primeira abordagem precisará de identificar qual o ecossistema social que está a atrair e que pessoas é que vão seguir a estória.

Tenha atenção aos seus perfis nas redes sociais, website e nas biografias que utiliza. Pergunte a si mesmo quais as partes da estória que estão a faltar. Estará a dar ênfase aos elementos certos?

Metas de Brainstorming

Idealmente, após cerca de um dia de brainstorming terá:

  • Um objectivo específico que pretende atingir com a construção do ecossistema social;
  • Uma lista de tópicos que pode apresentar;
  • Citações para a imprensa;
  • Perfis e personagens dos elementos do ecossistema social e parceiros que espera atrair;
  • Uma nova biografia pessoal;
  • Isto é apenas o início. Esta lista deverá ajudá-lo a concentrar-se, sem o limitar de qualquer modo.

Medindo o Sucesso

Definir as suas estratégias vão ajudá-lo a atingir estes objectivos e identificar os recursos que necessita de alocar. Com uma única métrica em que esteja concentrado em melhorar enquanto constrói o seu ecossistema social, poderá medicar os resultados de uma forma concreta e objectiva.

No caso de um ecossistema local, como Lisboa ou Madrid, deverão ser tidas em conta o número de startups bem sucedidas. No caso de um programa de televisão como o Você na TV, deverão ser tidos em conta os projectos lançados ou as pessoas que são ajudadas.

No seu caso, pode ser o número de novos projectos que começou apenas porque facilitou o contacto entre os vários membros do ecossistema social.

Plano de 1 Ano para estabelecer parcerias

Mês 1 a 6: Pesquisa

As parcerias são todas a propósito de envolvimento e conhecer novas pessoas. Nos primeiros seis meses da construção do seu ecossistema social, precisará visitar todos os eventos da sua indústria para conhecer bem o terreno de jogo.

Este passo é fundamental, uma vez que é a única forma de conhecer as forças invisíveis que existem na comunidade. Mantenha estas questões e dicas em mente:

  • Que pessoas, apesar da sua reputação, são importantes de ouvir e falar com?
  • Qual é o seu nicho no meio deste caleidoscópio de personagens, produtos e tópicos?

Frequente palestras em universidades, ligue-se a jornalistas que escrevem sobre os assuntos que lhe despertam interesse e peça ajuda.

Não tenha receio de demonstrar que é novo na comunidade.

Encontre um guia que o possa ajudar a circular no seu ecossistema social. Poderá ser o seu mentor ou um amigo.

Mês 7 a 12: Crie ligações

Depois de seis meses, se for tão rápido quanto possível, já terá um conhecimento suficientemente alargado sobre os indivíduos, produtos, eventos e outras questões relevantes. Será capaz de os começar a juntar a todos, maravilhe-se com as ligações que criou e com todos os resultados que poderá retirar daí.

Lembre-se: Uma ligação bem sucedida é aquela que pode ser sustentada sem que esteja sempre a perder tempo.

Devolva à Comunidade

Ligações fortes e bem sucedidas entre membros de uma comunidade vão ajudá-lo a construir a sua própria realidade dentro do ecossistema social. Deverá criar tais ligações e começar a devolver à comunidade assim que possível.

Não espere nada em troca. Isto não quer dizer que deva apenas doar dinheiro para alguma obra de caridade (embora se já o faça, deverá continuar a fazê-lo). Isto significa:

  • Organizar eventos da indústria ou ajudar a encontrar participantes relevantes;
  • Fazer comentários em artigos noticiosos;
  • Apresentar pessoas;
  • Ajudar no brainstorm dos produtos de outros;

Este tipo de dedicação vai destacar a sua força e habilidade a outros. Desta forma, as pessoas vão voltar a si de forma frequente para falar de tópicos específicos, criando um ciclo benéfico de feedback.

Assim que tenha completado estes passos, é tempo de rever os seus resultados. Reveja as estórias, tópicos e citações que ouviu durante o exercício de storytelling. Será que as pessoas voltarão a si por causa destas histórias ou se identificam consigo de alguma outra forma? Qual a sua característica a que se referem mais frequentemente? Como é que poderá ajudar?

E depois?

Depois de seis meses a um ano, terá o seu ecossistema social estabelecido. Depois, poderá mudar-se para um novo ecossistema social.

Escolha o próximo e repita as fases de parceria e devolução. Seja aquele que faz a ligação entre cada ecossistema social. Crie ligações e misturas improváveis. Aponte ideias sobre como poderão ser fomentadas tais ligações.

As pessoas virão pedir o seu conselho com mais frequência, sabendo que é uma ligação entre vários ecossistemas sociais. Este é um processo contínuo que poderá expandir para redes cada vez maiores.

O post Como construir um Ecossistema Social de raiz aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
As principais 7 tendências das Redes Sociais para 2015 https://www.intuitiva.pt/principais-7-tendencias-das-redes-sociais-para-2015/ https://www.intuitiva.pt/principais-7-tendencias-das-redes-sociais-para-2015/#comments Tue, 02 Dec 2014 20:19:09 +0000 https://www.intuitiva.pt/?p=53695 Criar uma presença online é um passo obrigatório para qualquer negócio deste tempo, na medida em que a vasta maioria das pessoas em todo o  mundo já fizeram transacções com base na internet. Desta forma, é essencial que as empresas venham a consolidar de forma sistemática todos os seus esforços online. Se perguntar que plataforma é, hoje em dia, mais ... Read More

O post As principais 7 tendências das Redes Sociais para 2015 aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
Criar uma presença online é um passo obrigatório para qualquer negócio deste tempo, na medida em que a vasta maioria das pessoas em todo o  mundo já fizeram transacções com base na internet. Desta forma, é essencial que as empresas venham a consolidar de forma sistemática todos os seus esforços online.

Se perguntar que plataforma é, hoje em dia, mais eficaz para promover os seus produtos e serviços, a resposta dominante vai passar pelas redes sociais. De acordo com a statista, existem neste momento cerca de 1,79 biliões de utilizadores de redes sociais, estando projectado que o seu crescimento chegue aos 2,44 biliões em 2018. Esta métrica vai, de certeza, favorecer as redes sociais enquanto principal meio de promoção num futuro próximo.

Quase todos os anos, emergem tendências das redes sociais. Com o aproximar de 2015, é tempo de olhar para as principais que se antecipam para o próximo ano.

  • As redes sociais serão progressivamente mais desenhadas para os dispositivos móveis;
  • As imagens serão utilizadas de forma ainda mais intensiva;
  • Os vídeos curtos também serão mais utilizados;
  • As empresas tentarão uma abordagem cada vez mais viral;
  • O marketing em tempo real aumentará significativamente;
  • O Instagram e o LinkedIn serão as plataformas mais populares;
  • A criatividade será a principal necessidade.

O marketing nas Redes Sociais será mais móvel

Esta é uma das tendências das redes sociais que começou há alguns anos e que continuará também em 2015. Não se trata apenas de implementar um design respondido. Cada vez mais pessoas estão a aceder às redes sociais através dos seus dispositivos móveis. De facto, as tendências mais recentes mostram que o aumento de utilizadores que utilizam apenas os dispositivos móveis para aceder às redes sociais cresce mais do que qualquer outro meio de acesso. Assim, é perfeitamente expectável que as plataformas de redes sociais sejam cada vez mais pensadas para o móvel.

É expectável que venham a emergir novas aplicações para as redes sociais. Por sua vez, estas farão com que seja muito mais fácil ao utilizador aceder às redes sociais, onde quer que esteja.

A utilização de imagens continuará a ganhar terreno

O velho ditado ainda é uma verdade: uma imagem vale por mil palavras. Está provado que as pessoas respondem de uma forma mais pronta a publicidade na forma de imagem do que na forma de texto. É por isto que as imagens se encontram entre as melhores formas de comunicação e são utilizadas de forma extensiva para que a audiência entenda a mensagem. Desta forma, a utilização de imagens vai certamente aumentar nas redes sociais.

É um facto conhecido que os conteúdos visuais são muito mais fáceis de lembrar. Por isso, é provável que tenham muito mais impacto do que os textos. Em 2015, é expectável que as empresas venham a utilizar mais imagens para espalhar a palavra sobre os seus negócios.

O Marketing através de vídeos curtos também será popular

O conteúdo visual tem sempre um impacto muito relevante nos esforços de marketing. Desta forma, a sua utilização também deverá aumentar em 2015, mas a utilização de conteúdo visual nas redes sociais não será apenas limitado a imagens. Com a cada vez menor paciência dos utilizadores, também se espera que os vídeos curtos emerjam como uma nova forma de comunicação num futuro próximo. Assim, o marketing por vídeo será, em 2015, uma das formas mais importante de marketing nas redes sociais

As empresas deverão criar pequenos vídeos informativos sobre os seus produtos e serviços, pelo que esta será uma das melhores formas de se ligar à sua audiência dentro do mais curto espaço de tempo possível. Os vídeos interactivos também deverão ser um factor importante em 2015. Sites como o Instagram, que oferecem excelentes oportunidades de marketing por vídeo, deverão crescer em popularidade em 2015.

As empresas tentarão uma abordagem cada vez mais viral

O mundo online já tem vindo a experimentar o poder do marketing viral. É a melhor forma que obter várias partilhas que, por sua vez, ajudam a espalhar a palavra sobre a sua empresa a várias pessoas o que, de certeza, aumentará as oportunidades de negócio da sua empresa.

Em 2015, cada vez mais empresas procurarão criar conteúdos que se tornarão virais, pelo que o seu objectivo deverá passar por aumentar os negócios que criam através deles. E para isto, até poderão pedir a ajuda de algumas agências de publicidade como a intuitiva :).

Cada vez mais, as empresas utilizarão o marketing em tempo real para servir os clientes

As redes sociais são uma excelente plataforma para as empresas se ligarem directamente com os seus clientes. É esperado que a maioria das empresas continue a explorar esta possibilidade ao máximo. E, em adição, o conceito de marketing em tempo real será cada vez mais popular.

Desta forma, as marcas deverão ser uniformes na sua actividade. Para além disto, terão que responder tão depressa quanto possível aos comentários e questões que os seus utilizadores e potenciais clientes estão a publicar nas redes sociais. Contudo, as empresas terão que ser prudentes a abordar cada oportunidade para que se mantenham ligadas à sua audiência numa base regular.

O LinkedIn e o Instagram deverão tornar-se as plataformas mais importantes

É esperado que o LinkedIn e o Instagram se venham a confirmar como as plataformas de redes sociais mais importantes. Enquanto é se espera que o LinkedIn emerja como a principal plataforma para a audiência B2B, um número de cada vez maior de pessoas utilizarão o Instagram para a comunicação B2C.

O Instagram será uma das mais importantes plataformas para a partilha de vídeos. Adicionalmente, é esperado que as empresas levem o LinkedIn muito mais a sério num futuro próximo, expondo a relevância dos benefícios da utilização desta plataforma.

A criatividade será a chave do sucesso

Não importa quanto tempo passa nas redes sociais, na medida em que não terá qualquer resultado a menos que seja criativo. Não pode esperar que a audiência reaja positivamente a mensagens gastas e que não passam de clichés. Em vez disso, tente pensar em algo fora da caixa. Seja no Twitter, Facebook, Instagram, ou qualquer outra plataforma, terá que criar o conteúdo da forma mais criativa possível. E assim que seja criativa, o conteúdo será único o suficiente para atrair inúmeras visitas.

A maioria das redes sociais, tais como o Twitter e outras, deverão também manter-se relevantes em 2015. Contudo, os profissionais do marketing terão que pagar mais para que os seus anúncios sejam visíveis em plataformas como o Facebook. Por isso, as empresas necessitam de aumentar significativamente o seu orçamento para as redes sociais em 2015. Além disso, deverão conter o seu foco em utilizar as redes sociais como a ferramenta perfeita para aumentar as suas receitas.

O post As principais 7 tendências das Redes Sociais para 2015 aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
https://www.intuitiva.pt/principais-7-tendencias-das-redes-sociais-para-2015/feed/ 1
Faça com que o seus Emails de Marketing sejam lidos: 4 dicas https://www.intuitiva.pt/faca-com-que-o-seus-emails-de-marketing-sejam-lidos-4-dicas/ Sun, 23 Nov 2014 23:51:09 +0000 https://www.intuitiva.pt/?p=53678 As campanhas de Email Marketing têm vindo a provar ser excelentes ferramentas se utilizadas extensivamente. Principalmente as que são lidas. A maioria das pessoas recebe dezenas de Emails de Marketing por dia, tão somente porque, efectivamente, estes produzem leads e contactos. Por vezes. Provavelmente coloca a maioria desses Emails na sua pasta de spam sem sequer os ler. Se está ... Read More

O post Faça com que o seus Emails de Marketing sejam lidos: 4 dicas aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
As campanhas de Email Marketing têm vindo a provar ser excelentes ferramentas se utilizadas extensivamente. Principalmente as que são lidas.

A maioria das pessoas recebe dezenas de Emails de Marketing por dia, tão somente porque, efectivamente, estes produzem leads e contactos.

Por vezes. Provavelmente coloca a maioria desses Emails na sua pasta de spam sem sequer os ler. Se está a montar neste momento uma campanha de Email Marketing, evitar que os seus Emails tenham esse destino é crucial. Por isso lhe deixamos algumas dicas simples que o vão ajudar a que os seus Emails de Marketing sejam abertos e lidos. Esse é o primeiro passo para o sucesso.

As linhas de Assunto são o que mais importa

Muitos profissionais do Marketing deixam a linha de assunto dos seus emails para posterior reflexão. Pelo contrário, esta deverá ser o alvo de toda a sua atenção, pois é o que, em primeira linha, despertará a atenção no receptor. Trate as linhas de assunto como o seu primeiro incentivo à acção. Mantenha-as curtas, simples e pessoais. Questões como “Posso ajudá-lo…” ou “Está pronto para…” normalmente levam o receptor a abrir os Emails de Marketing.

Utilize os dados adicionais para personalizar a sua mensagem

Se está a utilizar uma aplicação de Email Marketing como a nossa, por exemplo, é muito fácil incluir dados adicionais do contacto no seu email. Utilize estes dados, de forma moderada, para personalizar a sua mensagem, devendo evitar aplicações desajeitas que dão à sua mensagem a aparência de uma carta formal. Por exemplo, evite utilizar nomes completos nas saudações. “Dr. [sobrenome]:” é excelente. “Querido [nome] [sobrenome]:” é esquisito. Tente utilizar o campo [cidade] do seu receptor como parte do conteúdo dos seus Emails de Marketing.

Mantenha os Emails de Marketing curtos e directos ao assunto

Menos é definitivamente mais quando se tratam de Emails de Marketing. Mantenha a sua mensagem breve, sem grandes blocos de texto. Utilize frases pequenas e directa. Comece com um pequeno parágrafo, e depois prossiga com uma lista ou gráfico. Termine com um breve parágrafo de incentivo à acção. E é isto. Todo o seu email deve ser visível na janela do cliente de email do seu receptor sem fazer scroll. Teste isto enviando a si próprio, editando a mensagem até que caiba.

Indique aos recipientes uma acção a tomar e peça-lhes que o façam

Faça com que seja tremendamente simples para a pessoa que está a ler o seu email agir. Crie uma ligação para uma landing page específica do seu website, evento nas redes sociais ou um endereço de email que possa monitorar. Se deseja um contacto telefónico, peça ao receptor para lhe ligar, mas garanta que alguém vai andar. Forneça um incentivo que estimule a acção. Ofertas limitadas no tempo funcionam bem pois criam a sensação de urgência.

O Email Marketing só funciona quando o seu Email é lido

É muito fácil de enviar centenas – ou mesmo milhares – de Emails de Marketing. O sucesso baseia-se em quantos desses emails são abertos e lidos. Demore tanto tempo quanto necessário para criar Emails de Marketing que você próprio abriria, leria, e agisse caso aparecessem na sua caixa de entrada. O valor dos seus Emails de Marketing dependerá sempre que como o receptor o encarar.

O post Faça com que o seus Emails de Marketing sejam lidos: 4 dicas aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
5 Resultados do Google que podem destruir a sua Carreira https://www.intuitiva.pt/5-resultados-google-que-podem-destruir-sua-carreira/ Tue, 11 Nov 2014 22:21:32 +0000 https://www.intuitiva.pt/?p=53627 Se está à procura de emprego pela primeira vez, à espreita de uma promoção ou simplesmente a tentar aumentar a sua rede de contactos e clientes, o que as pessoas encontram quando procuram pelo seu nome nos resultados do Google pode muito bem deitar abaixo todos os seus esforços. Qual a importância da sua presença online para a sua carreira? Simples ... Read More

O post 5 Resultados do Google que podem destruir a sua Carreira aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
Se está à procura de emprego pela primeira vez, à espreita de uma promoção ou simplesmente a tentar aumentar a sua rede de contactos e clientes, o que as pessoas encontram quando procuram pelo seu nome nos resultados do Google pode muito bem deitar abaixo todos os seus esforços.

Qual a importância da sua presença online para a sua carreira?

Simples e directo: alguém o vai pesquisar no Google. Em média, 75% dos departamentos de recursos humanos incluem pesquisas no Google como parte integrante do seu processo de recrutamento. E isto é só uma parte, pois não se deve esquecer que os seus futuros colegas, clientes e parceiros de negócio também vão tentar perceber quem é. A informação que aparece quando pesquisam vai marcar o tom da sua primeira impressão enquanto profissional e pessoa.

Por exemplo, Patrick Ambron, cofundador e CEO da Brand Yourself, diz o seguinte a propósito do que procurar quando pesquisa por si próprio e quais os cinco resultados do google que podem destruir a sua carreira:

“Pense na primeira página de resultados como o resumo da sua presença online. Uma primeira página de resultados do google preenchida com um brilhante website pessoal, perfis profissionais activos e as suas mais recentes conquistas e contribuições para a indústria irão muito mais longe do que uma primeira página com poucos ou nenhum resultado positivo sobre si. Pior dos cenários? Uma primeira página com um resultado negativo (ou dois!). Se ainda não o tiver feito, tire uns minutos e pesquise pelo seu nome no Google para saber o que anda por aí a ser dito sobre si. Certifique-se que está a utilizar a navegação privada para obter os resultados mais fidedignos.”

E que tipo de resultados do Google negativos devemos estar à procura?

Uma boa regra a considerar: se não pretende que um departamento de recursos humanos lhe coloque os olhos em cima, então deve ser considerado negativo. Não tem que ser má pessoa ou sequer um criminoso condenado para encontrar um resultado negativo no Google sobre si. Existem cinco tipos comuns de resultados negativos do Google com os quais qualquer pessoa pode um dia vir a lidar:

  1. Uma menção negativa na imprensa – com tantos websites de notícias regionais e focadas em cada indústria, é cada vez mais fácil chamar a sua atenção para os cabeçalhos. Por exemplo, na indústria tecnológica e de startups tem sido muito comum ver alguns co-fundadores a ver algumas das posições e afirmações que fizeram no passado a resultar em alguma atenção da imprensa.
  2. Informação sobre uma detenção ou complicação jurídica – se alguma vez teve alguma desavença com a lei, a sua fotografia ou registo de detenção, requerimentos legais ou qualquer outro tipo de registo público pode ser encontrado através dos resultados do Google. Isto significa que qualquer parte de um procedimento jurídico que mencione o seu nome estará à vista de todos.
  3. Críticas Online Negativas – Os sites que permitam apreciações ou críticas anónimas, tais como o Yelp (por exemplo), fazem com que seja fácil para que qualquer pessoa possa descarregar as suas frustrações em cima de si e do seu negócio (mesmo que as críticas não sejam verdadeiras). Este tipo de websites são difíceis de lidar, pois incluem formulários abertos que não pode controlar.
  4. Sequelas do fim de uma relação amorosa que correu mal – O fim de uma relação de uma relação amorosa tende a trazer à tona o pior das pessoas e, com as emoções no auge, poderá muito facilmente dar por si a lidar com alguns resultados do google negativos a este propósito. A publicação de vídeos e/ou fotos íntimas é o pior dos resultados nestes casos.
  5. Artigo ou website calunioso – Se tiver feito alguma coisa que tenha despertado o lado mais negativo de alguém ou apenas se teve o azar de se cruzar com a pessoa errada, poderá ver-se a braços com um artigo de blog calunioso ou mesmo um website inteiro dedicado a explicar o que fez de mal ao outro.

Mesmo que o seu quotidiano sempre se tenha pautado por evitar o tipo de situações descritas acima, tenha em mente que deverão existir outras pessoas com o seu nome. Assim, se não estiver sempre a trabalhar em prol de uma presença online positiva, está a ficar vulnerável a que outras pessoas criem a sua reputação online por si – seja ela boa ou má.

Como é que se pode prevenir que possa aparecer um resultado do Google negativo com o seu nome? (e o que fazer se já existir?)

Obviamente, a primeira questão passa por evitar fazer ou publicar qualquer coisa que o coloque numa posição menos favorável. Verifique sempre as suas definições de privacidade e pense sempre duas vezes sobre tudo o que partilha com os seus amigos e seguidores. Mesmo que conheça todos os que estão na sua lista, nunca vai poder saber se alguma dessas pessoas vai colocar alguma coisa que publique fora de contexto e partilhando-a com outras pessoas.

A única estratégia eficaz de longo prazo para fazer face a quaisquer resultados do google não pretendidos, prevenindo-os também no futuro, passa por criar uma presença online positiva muito activa. Tal requer a construção de websites pessoais, profissionais, blogs mantendo-os activamente.

O post 5 Resultados do Google que podem destruir a sua Carreira aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
Automatização de Marketing: 3 Formas de a Optimizar https://www.intuitiva.pt/automatizacao-de-marketing-optimizar/ Wed, 29 Oct 2014 09:06:36 +0000 https://www.intuitiva.pt/?p=53607 Porque é que ficamos até tarde a ver as televendas? Além daqueles que têm problemas com insónias, muitos ficam hipnotizados com a ideia de que, apenas com três pagamentos 19,99€, podem comprar soluções para todos os seus problemas relacionados com a cozinham, casa-de-banho ou jardim. Mas o seu sistema de automatização de marketing não pode estar num anúncio de televisão. ... Read More

O post Automatização de Marketing: 3 Formas de a Optimizar aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>
Porque é que ficamos até tarde a ver as televendas? Além daqueles que têm problemas com insónias, muitos ficam hipnotizados com a ideia de que, apenas com três pagamentos 19,99€, podem comprar soluções para todos os seus problemas relacionados com a cozinham, casa-de-banho ou jardim.

Mas o seu sistema de automatização de marketing não pode estar num anúncio de televisão. Não existe nenhuma solução do género “Ligue agora e oferecemos o dobro” que lhe permita captar dos dados de quem o visita e, de forma imediata, afunilar para a venda.

É tempo de desistir do sonho dos atalhos. A automatização de marketing é um sistema de repetição que vai mapear toda a actividade do cliente com várias mensagens através de uma conversa online que decorre online. Se bem executada, vai ganhar de certeza a confiança do consumidor que todos os profissionais do marketing invejam.

Mais, permite-lhe escalar os seus esforços de marketing ao escrever regras que removam parte do elemento humano no tratamento de cada lead. Ainda que exista sempre um ponto do processo em que os processos não corram sozinhos, todo o esforço que colocar no seu sistema de automatização de marketing vai significar economia de tempo e dinheiro.

Ao configurar o seu sistema correctamente desde o início, poderá criar melhores conversas com os seus clientes e aprender como os seus potenciais clientes se comportam.

As regras para as conversas com os seus clientes não são muito diferentes de qualquer discussão offline — deve manter tudo relevante e dentro de contexto, gritar apenas quando necessário e responder sempre da mesma forma (ou canal) em que a conversa estiver a ter lugar. Tentar generalizar ou enganar o sistema pode levar a que o seu potencial comprador lhe dê um pontapé.

Imagine que a sua tia lhe envia um cartão de cumprimentos no e-mail. Ela adoraria que lhe telefonasse em resposta, mas nunca quereria receber uma chamada de telemarketing apenas porque visitou o seu website.

Para ganhar a inestimável confiança do comprador e utilizar a automatização de marketing de forma eficiente, deverá configurar o sistema de forma a que possa ser facilmente escalável à medida que a sua empresa cresce. É aqui que o trabalho difícil começa, mas não vale a pena construir nada se não for bem feito.

Aqui estão três formas de optimizar os seus sistemas de automatização de marketing para obter os melhores resultados:

Determine o seu processo

Os processos vêm sempre antes da tecnologia, por isso deve primeiro determinar o processo para segmentar os clientes, aplicando-o ao seu sistema de automatização de marketing. Defina os estereótipos dos seus melhores compradores. Depois de identificar os seus pontos críticos e o que necessitam para criar confiança, pergunte a si mesmo como é que vai identificar os segmentos em tempo real, com base na demografia, firmografia e comportamentos.

Os critérios que defina vão tornar-se regras que implementará nos seus sistemas de automatização de marketing. Poderá ainda desenvolver processos para tratar os leads, alinhar para a venda e gerir a relação com o cliente.

Captar os dados

Priorize a captura de dados sobre comportamento sobre o envio de e-mails ou outros objectivos de curto-prazo. A maior falha das empresas no âmbito da automatização de markeking passa pelo processo de captação de dados, que consiste numa oportunidade perdida que requere substancial actualização. Precisará de colocar as questões certas nos seus formulários, fazer com que seja a sua equipa de vendas a introduzir os dados críticos e utilizar a depuração de dados ou adequar as suas próprias tácticas para aprender tanto quanto possível sobre os seus clientes.

Fixar metas iniciais

O elemento mais negligenciado de uma campanha de marketing bem sucedida são as projecções iniciais. Se não sabe para onde está a apontar, como é que pode esperar acertar no alvo? Alguns profissionais de marketing hesitam em estabelecer metas iniciais, na medida em que estas podem chamar a atenção para o fracasso.

Mas sabe que mais? O fracasso vai acontecer, pois o Marketing não é uma ciência exacta. Está dependente de uma variável que é extremamente volátil – o cliente. Enquanto qualquer campanha pode falhar, o grande falhanço passa por não ter um mecanismo que capte resultados e implemente alterações com base no feedback. Estabeleça objectivos e documento o processo e respectivos resultados para que possa aprender com os seus erros.

Não raras vezes, os profissionais de marketing utilizam a tecnologia da automatização de marketing para definir o seu processo. Procuram pelos requisitos do software e criam essas peças. Contudo, garantimos que se está a utilizar a tecnologia para forçar a criação de um processo, então já perdeu.

A automatização de marketing oferece-lhe um processo sólido que vai melhorar a geração de leads, a gestão e as vendas. De desenvolver o seu processo, captar dados e estabelecer metas iniciais, poderá utilizar o sistema para fazer crescer o seu negócio de forma eficaz.

Não existe qualquer atalho. Se estiver disposto a fazer o trabalho necessário, decerto que terá sucesso através da automatização de marketing.

O post Automatização de Marketing: 3 Formas de a Optimizar aparece primeiro no intuitiva • comunicação web.

]]>